5 de agosto de 2015

Tô mogra fia



Parece uma máquina do tempo
você deita e fica lá dentro
naquele canudo cinzento.

Em volta começa a girar
pedem pra você não respirar e
o contraste na sua veia começa a entrar.

Esquenta tudo por dentro
o corpo quente, quase num aguento
só mais um pouco... E me concentro.

Respira. Pausa. Respira. Pausa.
Tem gente que faz pra descobrir a causa
mas eu agora só faço pra não ficar confusa.
.


.
.

Nenhum comentário:

A moça do bonde

A moça é daqui, de lá, de longe ela acorda cedo todo dia, pega o bonde ela não quer virar estatística de ONG. A moça é daqui, de l...