29 de dezembro de 2014

SP - Solo Pernambucano (documentário)



Que coisa mais rica essa história.
Dona Carminha, que pariu Marcelino, que tem esse nome por causa do filme, mas sem o "pão e vinho" e que se emocionou quando voltou para rever de onde veio e relembrar tudo que viveu ali.
Que espontaneidade, nostalgia e ternura naqueles olhinhos.
Ela reza igual Vóinha rezava, bem baixinho, a gente só conseguia ouvir a pronúncia dos "s"...

E que sensacional as escrituras de Marcelino Freire.

Assistam:


Diário

fico parada observando o nada, a torneira que pinga achando estranho uma pessoa que tropeça e não xinga mas na verdade eu morro é de dó ...