4 de julho de 2012

Diálogo entre poemas

Leio-te
não apenas por ler
ou para dizer que li,

bem mais que blogueira
és uma guerreira
que não cedeu. Venceu.

Leio-te.

Na minha hora carente
foste exemplo a cada sol poente,
a extirpar qualquer epílogo,

leio-te
para decifrar o intrínseco
na tua pele tatuada de alegria e fé,

leio-te
para ser manteúdo do conteúdo
da sua palavra visceral.

Leio-te. .

* Resposta ao poema de Suzana Luna no Projeto Leitura para Todos. 


Autor: Luiz Claudio de Paulo
http://luizclaudiodiversos.blogspot.com.br/2012/07/leio-te.html

Nenhum comentário:

Diário

fico parada observando o nada, a torneira que pinga achando estranho uma pessoa que tropeça e não xinga mas na verdade eu morro é de dó ...