23 de novembro de 2011

25ª sessão

Boa tarde.
Que chuva foi essa em BH minha gente??? Agora parou e o sol está timidamente querendo aparecer.



Bom, hoje fiz minha sessão sem o exame de sangue. O Hermes Pardini estava com seu sistema todo fora do ar por conta da chuva. Mas minha médica não adiou a medicação porque meus resultados estão sempre bons. Ainda bem.

Essa noite sonhei que estava esperando internação num hospital, e não era a Santa Casa. De repente chega uma mulher toda ensanguentada, sem um pé e cheia de fraturas. Cena horrível. Ainda bem que foi só sonho.

Vi o Igor, mas hoje quem estava com ele era seu pai, que não tenho intimidade. A mãe (Márcia) está na cidade deles com os outros irmãos. Igor está bem, mas terá que ser internado novamente para implantar um cateter e poder terminar o tratamento. As veias já não estão tão boas mais para receber a medicação. Mas está quase acabando a luta.


Hoje conheci Nara, de um ano e sete meses. Ela teve um tumor na bexiga. Já nasceu com ele e estava tão grande quando foi descoberto que havia empurrado a uretra da pequena Nara para fora. A mãe dela é uma mocinha de apenas vinte anos de idade, elas são de Três Marias e estão na Casa de Apoio Aura. Fico pensando: o que seria dessas famílias sem as Casas de Apoio? Meu Deus.
Nara é tãaaaao bonitinha, tem uma carinha boa, me chamou de tia e fez com a mãozinha pra eu ir pra perto dela, aí pegou minha sombrinha pra brincar.
Ela está com um "coletor de urina sistema fechado" que fica preso às suas costas pois a bexiga não está funcionando. Daqui uns dias ela será submetida à cirurgia para retirada do tumor. Enquanto isso faz sessões de quimioterapia para que ele não cresça ainda mais.
Senti que a jovem mãe queria conversar mais, só que nesse momento a enfermagem chamou minha senha e tive que me despedir delas para tomar a medicação. Uma pena, queria ter conversado mais. Ela parecia tão carente, tão sozinha aqui.
Ai Deus, porque criancinhas tão inocentes tem que nascer com essas coisas??? Difícil demais de entender...
.
.

Nenhum comentário:

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...