31 de agosto de 2011

COMO DESCOBRI TUDO:

Bem, estava eu aqui, pensando com meus botões, nunca postei nada contando realmente como tudo aconteceu e que tipo de câncer eu tive. Já estou quase na metade das sessões de quimioterapia, então está mais do que na hora de deixar isso muito claro.
Vamos lá.


Em meados do ano passado, eu comecei a sentir muito, muito cansaço ao fazer pequenos esforços. Carregar duas sacolas subindo um lance de escada - moro no 2º andar, subir uma pequena ladeira, fazer uma caminhada. Tudo isso me dava uma tremenda falta de ar e uma taquicardia que meu coração quase ia pra boca. A maioria das pessoas dizia: "- isso é falta de atividade física, vai fazer uma academia!". Concordo. Sempre fui um pouco acima do peso e sedentária. Mas dentro de mim eu tinha certeza de que não era só a falta de exercícios que estava me dando aqueles sintomas. A coisa era mais séria.


Em julho de 2010 fui demitida do emprego.
Sempre tive plano de saúde da Santa Casa - que é excelente, então aproveitei que estava à toa e fui procurar um cardiologista, já que o problema parecia ser no coração: batimentos acelerados e falta de ar. Peguei meu livreto de médicos e clínicas e liguei o "olhômetro", marquei uma consulta com DRA. ALINE MAIA. Uma das minhas salvadoras.
Uma médica super nova mas de uma experiência, educação e dedicação incríveis. Na primeira consulta fizemos um eletro e meus batimentos (em repouso) passavam de 100! Então ela me pediu um teste ergométrico e um ecocardiograma. Obviamente, todos deram alterações, pois meus coração batia muito mais acelerado que o normal. Só que o problema cardíaco, a princípio, era só esse: batimentos acelerados.
Dra. Aline começou então a desconfiar de uma anemia e a partir disso me pediu alguns exames de sangue.


Resultados:
hemoglobina 5,8g/dl (o normal é acima de 12/gdl),
plaquetas 546.000m³ (o normal é até 450.000m³),
ferro sérico 9mcg/dl (o normal é entre 40 e 150mcg/dl).
Conclusão: ANEMIA GRAVÍSSIMA.


Por onde eu estaria sangrando? Tomo uma pílula que suspende a menstruação há anos, portanto, não poderia ser por lá. Nas minhas fezes não haviam sangue e muito menos na minha urina. Por onde estou perdendo tanto sangue?
Próximo exame: sangue oculto nas fezes.
Resultado: POSITIVO.
Pronto, ela encontrou o local do sangramento: aparelho digestivo.


Em seguida me pediu para procurar um gastroenterologista e um coloproctologista. Para adiantar o processo ela mesma já me deu um pedido da endoscopia, mas para a colonoscopia eu teria que fazer uma consulta antes. Mais uma vez recorri ao livreto do plano de saúde e escolhi um 'coloprocto' que tivesse horário o mais rápido possível. Marquei, contei minha história e ela me deu o pedido para a colonoscopia, mas só tem um detalhe: detestei a médica!!!
Ok, liguei no Biogastro e marquei os exames.
O preparo para a endoscopia, quem já fez sabe, é apenas um jejum de 8 horas. Já o preparo para a colonoscopia.... Jesus!!! É simplesmente detestável!!! (depois procurem saber).


Fiz a endoscopia, que não deu nenhuma alteração além das já conhecidas gastrite e esofagite de refluxo. Minhas companheiras de longuíssima data.


Alguns dias depois fiz minha primeira colonoscopia, só que meu intestino não estava totalmente "limpo" e tivemos que repetir o exame.
No dia 05 de fevereiro de 2011 fiz o exame novamente, desta vez deu tudo certo. Assim que saí da sedação, o gastroenterologista DR. LUIZ RONALDO ALBERTI me deu a notícia do que ele visualizou: um tumor sangrento no cólon transverso.
UM TAPA NA CARA!!!
Parecia que eu estava recebendo um atestado de óbito pré-datado. Sensação indescritível.


Naquele momento ele ainda não poderia me precisar se era maligno ou não, a única coisa que me garantiu era que eu teria que fazer urgentemente uma cirurgia para retirada daquele "bicho" de dentro de mim. Mais um tapa na cara!


Na mesma hora ele me deu o telefone de um dos melhores cirurgiões do aparelho digestivo de Minas Gerais: DR. ANDY PETROIANU. No dia seguinte marquei uma consulta com ele, que marcou a cirurgia para retirada do tumor no dia 17/02/2011, antes mesmo de sair a biópsia da colonoscopia*.


*Biópsia: fragmentos de ADENOCARCINOMA de padrão colônico moderadamente diferenciado. Leia-se: câncer no cólon transverso.


O plano de saúde autorizou tudo e no dia 17/02 lá estava eu no bloco cirúrgico da Santa Casa de Belo Horizonte nas mãos do Dr.Andy e de Deus. Graças a Ele, o tumor era localizado e estava apenas no cólon transverso do meu intestino. Fiquei cinco dias internada, sem poder beber nem água e muito menos comer. Mas recebi muitas visitas adoráveis...


Depois da alta, Dr. Andy me encaminhou para a oncologista DRA. MARIA NUNES, superintendente da oncologia da Santa Casa. Excelente médica também.


Hoje faço 'quimioterapia adjuvante', que foi prescrita para trinta sessões semanais que irão até janeiro/2012. O tratamento agora é feito pelo SUS, porque para o meu plano de saúde eu já estava CURADA e portanto, não precisaria de sessões de quimio. Mas para minha oncologista e para o meu cirurgião, a minha pouca idade já era motivo mais que suficiente para fazê-las.


Bom, é isso.
O restante, depois da descoberta do câncer e do início da quimioterapia vocês já sabem.

3 comentários:

Amanda França disse...

Nossa Suzi. Foi Deus quem colocou esses médicos admiráveis na sua vida. Ultimamente venho sentindo coisas parecidas e a anos não faço exame de fezes por sempre "travar" na hora H, rs!!!
Obrigada pelas dicas e por contar sua história aqui.
As pessoas precisavam mesmo saber disso, pq tudo começou com um simples cansaço, e vc descobriu a tempo outra coisa.
Saudades amiga. Em breve lhe farei uma vista.
Bjs grande

Suzana Luna disse...

Vai fazer logo esses exames menina!!! Não custa nada vigiar né?! rs

Natacha Ramalho disse...

Ainda bem que vc olhou direitinho e esta tratando, vc é mesmo uma guerreira, vestida e protegida com as armas de São Jorge, parabens pela iniciativa, por correr atras e lutar por si mesma, tenho omaior orgulho de vc!

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...