26 de julho de 2011

START

Não adiantam garrafas de vinhos sem as rolhas

Nem baldes com água e sabão sem as bolhas.

Sua vida sempre será o resultado das suas escolhas


A decepção é ingrediente primordial para a evolução

Mesmo que às vezes eu tenha a certeza de que tinha razão.

Nem sempre, ou quase nunca, tenho gostado das coisas como são


Vivo, aprendo, erro, choro e dou gargalhada até doer a barriga

Mas tudo tem que acontecer lentamente, a passos de formiga.

É que tenho que aprender que não posso ganhar toda briga


Eu sei, talvez já tenha passado um pouco do meu tempo

Mas algumas pessoas me dizem que eu ainda aguento.

Usando o otimismo e trabalhando com a força do pensamento


Como todo mundo, tem a hora que eu paro e penso no futuro

Desisto, sonho, continuo ou só aprecio de cima do muro?

Melhor arregaçar logo as mangas e começar. É promessa, juro.

.


25 de julho de 2011

8ª sessão

Olá!
Eis uma foto do lugar que visito todas as segundas.

Hoje teve novidade: a quimioterapia foi pela veia do pulso, as veias das mãos estão cada dia mais queimadas e finas. Não sei onde dói mais viu?! Mão, pulso... Francamente!

A parte boa é que bati maior papo com o garoto Marksuel, sua mãe e sua avó materna, que falou assim:
"- esse menino conversa demais, nosso Pai",
aí eu respondi:
"- então tem que formar em comunicação, ser jornalista".
Ele retrucou na hora:
"- neeeemmm, é muito perigoso!".
Achei graça e perguntei o que ele queria ser então, respondeu médico oncologista, com certeza para cuidar das crianças com câncer. A avó me contou que eles tiveram que alugar uma casinha aqui em BH - na verdade, RMBH, porque o clima não estava bom na casa dos parentes que estavam os hospedando. Sei como é morar "de favor", nada bom. Independente se é parente ou não, a gente sempre acha que está incomodando. Mas o ruim é o dinheiro da passagem, porque tem semana que Marksuel tem que ir todos os dias à Santa Casa, aí haja $$$. Foda né?! Mas o bom é que ele já está quaaaaaase terminando tudo. E curado também. Ele sempre faz questão de repetir isso. E rir da minha cara porque eu ainda ficarei lá até janeiro, rss.
Já avisei pra ele que antes de voltar pra Mantena ele tem que tirar uma foto comigo, para meus leitores saberem que carinha tem o tal Marksuel.

A mãe dele (que nunca me lembro o nome) me perguntou se meu cabelo não havia caído, respondi que não e muito pelo contrário, ele tava era crescendo. Realmente, meu cabelo está muito comprido mesmo e esse final de semana eu ainda fiz escova, fica maior ainda. Ela disse que é um milagre de Deus, e que se Ele quer assim, então não é pra eu cortar, é pra deixar o cabelo crescer o tanto que Deus quiser. Bonitinho né?! rss

Por falar em Deus, hoje recebi uma surpresa muito, muito, muito boa.
Ele é Pai mesmo...

18 de julho de 2011

7ª sessão


Como cantaria o Cidade Negra em 1991: "ei, ei, estamos aí, pro que der e vier..."
Faltando apenas 23 sessões para o fim. Minha pobre mãozinha doeu pra cacete viu!? Nossa... Parece que a cada dia que passa o cateter vai ficando mais grosso, Jesus!!!

Hoje vi o garoto Marksuel, perguntei sobre segunda-feira passada e realmente ele não esteve no Centro de Quimioterapia. Estava com a mãe e a avó, mas fui atendida tão rapidamente que nem deu pra conversar com ele, apenas falei 'oi' e recebi um sorrisão em troca.

Fico com uma dó. Tem paciente que fica lá horas esperando, um dia perguntei para uma das meninas da recepção porque algumas pessoas esperam tanto, ela respondeu que depende muito do oncologista que as atende. Graças a Deus que a Dra.Maria Nunes é até rápida e ainda é superintendente da quimioterapia da Santa Casa, ou seja, tem menos pacientes que os outros médicos. Que sorte a minha!

Tive um pouco de dor de barriga, mas a cabeça AINDA não doeu.

Para finalizar a postagem desta segunda-feira, Paulo Leminski:

Razão de ser

"Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece.
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?"


12 de julho de 2011

6ª sessão


Ontem fiz minha sessão de number six, agora só faltam 24!!! Ebaaaa!!! rss
Infelizmente não encontrei com o Marksuel, acho que ele não esteve por lá, perguntei e as enfermeiras disseram que não tinham visto ele.
Fiquei sabendo que minhas veias das mãos (só recebo a medicação nas mãos) ficarão muito, muito escuras, pois o medicamento "queima" tudo por onde passa. Tem hora que penso que essas enfermeiras da quimio são meio 'terroristas'. Quem perguntou se as veias ficariam escuras??? Eu não fui. Bom, melhor não pensar nisso, ainda terei que conviver com elas até janeiro.
Uma das senhorinhas voluntárias da AVOSC veio conversar comigo na sala de quimio mesmo, enquanto eu tomava a medicação. Perguntou se eu era católica e me deu uma medalhinha de Nossa Senhora. Guardei na carteira.

Ontem também estive em outro hospital, para visitar um amigo que infartou esse final de semana. Aos 30 anos de idade. Foda né?! Depois do mega susto, ontem fui conferir e ele já está muito bem, graças a Deus!
Aí a gente canta: "é preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte!"

4 de julho de 2011

5ª sessão

Oi pessoas!
Só agora deu pra entrar no planeta internet...

 
Só pra variar, aquela dorzinha de cabeça. Normal.
Estou um pouco rouca (leia-se: voz igual a da Marge Simpson) e Dra.Maria Nunes disse que não posso me descuidar, pois meu sistema imunológico não está em seu estado normal. O pior é que eu acho que estou começando a ter uma crise de sinusite. Enfim... Vamos vigiar né gente?!

Na semana passada um garotinho interagiu comigo: quando eu estava saindo da sala de quimio ele segurou a maçaneta da porta pelo lado de fora e eu não conseguia abrir, depois soltou e ficou rindo da minha cara, rss.
Hoje quando eu o vi novamente falei assim: você que me prendeu na sala semana passada né?! Aí ele deu uma risada e ficou meio sem graça.
Estava com o prontuário dele pra entregar pra enfermeira, eu já havia entregue o meu.
Estiquei o pescoço e li o nome dele: Marksuel - isso mesmo.
Ele disse assim:
"- minha pasta nem tá tão grossa e eu já tô terminando o tratamento".
Eu respondi:
"- sério?! Pois a minha também nem tá tão grossa mas eu ainda tenho que fazer 25 sessões!"
Ele:
"- nóooooooo, isso tudo? Que preguiça!"
Ficamos rindo ali, nós dois.

Entrei e fui tomar minha medicação. Saí e encontrei com a mãe dele no corredor. Não me contive, tive que comentar: "seu filho é um fofo!" Ela sorriu e começamos a conversar. Ele ainda estava tomando a medicação. Eles são da cidade de Mantena, bem longe, divisa com o estado do Espírito Santo. Como ele tem sessões semanais, estão hospedados aqui, na casa de parentes.
Marksuel tem 11 anos e teve câncer num dos rins, que foi retirado juntamente com o tumor. Está completamente careca, mas é um menino super astral e todo despachado também. Ele próprio pega sua pasta, leva pra enfermeira, fica lá deitadinho tomando a medicação, termina, sai, dá tchau pras enfermeiras. Praticamente não convoca a mãe para nada. E ainda brinca com a gente. Segunda que vem quero conversar mais com ele. Adorei. A mãe também é uma graça.

MANTENA - MG

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...