17 de março de 2011

NOIVA DO CORDEIRO








Ontem assisti a um documentário no GNT, ele é de 2008 mas eu nunca tinha ouvido falar, nem do filme e nem do lugarejo. Estou falando de Noiva do Cordeiro (antes Chácara do Cordeiro), que pertence à cidade de Belo Vale, a 100km aqui de BH.


Gente, é incrível a história dessa vila.

Preconceito, luta e vitória.

Se a palavra do momento é SUPERAÇÃO, lá eles sabem explicar - e mostrar, direitinho o significado.


Breve resumo para tentarem entender o que digo:

No século XVIII uma moradora da vila casou-se com um francês.

Três meses depois percebeu que não estava feliz e decidiu separar-se. Sim, uma mulher "separada" em pleno século XVIII !!! E o pior ainda estava por vir, ela casou-se novamente (informalmente) com um morador da região.

Pronto, foi mais que suficiente para a Igreja excomungar a mulher, o marido "ilegal" e todas as quatro gerações seguintes a eles. O que durou até os anos 90, dá pra acreditar?!

Dali pra frente ninguém mais era gente, ninguém mais tinha direito a nada. Eram todos pagões, amaldiçoados e todas as mulheres dali eram prostitutas, suas casas não passavam de prostíbulos na concepção dos moradores das regiões vizinhas.


No meio desse caminho um pastor evangélico apareceu querendo recolocar o povo de lá no caminho de Deus, já que a Igreja Católica havia tirado. O que não deu muito certo. Foi uma época de privações, sacrifícios e tristezas.


Bom, depois de tantos obstáculos o povo de Noiva do Cordeiro hoje já pode se orgulhar de ter nascido ali. O lugarejo é exemplo de agricultura de subsistência, união, cooperação, solidariedade e perseverança.


Deu vontade de conhecer não deu?! Em mim também...





3 comentários:

Erika disse...

Caramba deu mesmo vontade de conhecer e aprofundar mais na historia deste lugar!!
Temos tanta riqueza em Minas e quase não as exploramos!

Soniaoli disse...

Pois é, histórias assim deviam estar incluídas nos livros didáticos desde os primeiros anos de escola, isso é cultura, isso nos faz aprender muita coisa, como a Su falou, nos ensina a superar e outras coisas que podemos refletir com ela! Adorei o post Su. Parabéns!

Suzana Luna disse...

Pois é Sonia, a gente só toma conhecimento de coisas interessantes por acaso, normalmente é assim. Mas que bom que assisti ao documentário! Em breve vou conhecer o lugarejo. Bjos e obrigada pela força com o blog.

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...