19 de abril de 2010

CHICO XAVIER



Alguns dados técnicos:

Produção e direção: DANIEL FILHO
Roteiro: Marcos Bernstein, AC – baseado na obra “As Vidas de Chico Xavier”, do jornalista Marcel Souto Maior.
Música: Egberto Gismonti
Duração das filmagens: 56 dias



Domingo fui assistir ao tão comentado filme do Daniel Filho, Chico Xavier. Confesso que fiquei um tanto quanto decepcionada. Achei o roteiro, a forma como foi contada a história bem simplista. "Pá-pum" sabe como?!
Um filme de pouca sensibilidade, tendo, na minha opinião, apenas dois momentos cruciais de emoção: quando o protagonista ainda criança sofre maus tratos da personagem Rita, interpretada por Giulia Gam e quando a Glória, interpretada por Christiane Torloni recebe uma carta psicografada do filho. Fora isso, o filme é completamente apático.
As doses de humor que foram colocadas quando Chico Xavier contracena com seu "guia espiritual" Emmanuel são totalmente desnecessárias. Sobram.
Ao mesmo tempo em que falta uma boa trilha sonora, à altura.
Tive a impressão de que o filme foi 100% construído em cima da entrevista concedida ao programa Pinga Fogo. E ponto. Nada além (sem trocadilhos!). Apesar do roteiro do Sr.Marcos Bernstein ter sido baseado na obra "As Vidas De Chico Xavier".
Quando acabou fiquei ali sentada, olhando pra tela e sem acreditar... É só isso??? Chico Xavier foi "só isso"???

Já assisti a outros filmes que contam histórias das vidas de pessoas públicas que não deixaram tanto a desejar assim. Exemplo: Dois Filhos De Francisco.


Talvez tenha faltado um pouco mais de delicadeza ao transferir para o vídeo um pouco da vida e da obra do unânime Franciso Cândido de Paula Xavier.


E só para constar: não, eu não li os livros.

Um comentário:

Renata Feldman disse...

Querida Suzana,
Acho pertinente a sua crítica. Fiquei tão envolvida com a história de vida dele, o enredo em si, que não me atentei a estas questões que você levantou.
De qualquer forma, acho que o todo ganha dos detalhes. O filme me tocou de um jeito muito especial.
Beijos carinhosos

Diário

fico parada observando o nada, a torneira que pinga achando estranho uma pessoa que tropeça e não xinga mas na verdade eu morro é de dó ...