29 de dezembro de 2010

PARA PENSAR:


"Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que não seja nem curta e nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar.
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Cora Coralina

.

27 de dezembro de 2010

IMAGENS DO MEU NATAL...

coisas de "casa dos pais":

Ouvir música (boa) que vem do vinil
Álbum: LUAR / GILBERTO GIL

Árvore de natal natural no jardim
Rabanadas... Que eu fiz!


Beija-flor na varanda
(porque quem gosta de bicho não prende na gaiola!)

16 de dezembro de 2010

L+ndo


passos Largos
evoluções Lentas
corpos Lânguidos
atitudes Letais
raciocínios Lógicos
resoluções Lacônicas
pensamentos Livres
doutrinas Laicas
líderes Logreiros
povos Ludibriados
presente Leviano
futuro Lesado
mentes Lascivas

corações Libertos








15 de dezembro de 2010

Talismã japonês

DARUMA
Faça um pedido, pinte um dos olhos.
Pedido realizado, pinte o outro olho em sinal de agradecimento.
.
.
A foto é do meu Daruma, ganhei de aniversário.
Deu pra perceber que já fiz meu pedido né?!
Pensamento positivo que até antes do natal ele estará com os dois olhos pintados.
E quem gosta de mim pode torcer junto.

13 de dezembro de 2010

O velho Chico...

(cardume de garrafas "pet" - peguei a foto no google imagens)

Não, não é o Buarque.

Na última sexta-feira estive no Palácio das Artes (mero acaso) e pude apreciar a navegação que Ronaldo Fraga fez pelas águas do Rio São Francisco. Fantástica.

Materiais reciclados, cores, formas e interatividade.
Mistura que faz brotar a diversidade de um rio que banha a história de muitos lugares por esse Brasil afora.

Sente em um banco de madeira numa pequena sala e conheça a história de Rodelas pelos olhos de Wagner Moura. Cidadezinha em que o ator também morou uma época de sua infância e que sumiu em 1988, quando foi submersa pela construção da represa de Itaparica.

Peixes, caixeiros viajantes, garrafas de cachaça, pequenas embarcações, fotos, roupas e crucifixos. Palavras que falam muito do velho Chico.

Quando forem ao centro da cidade passem lá no Palácio das Artes, é só até domingo, dia 19.

2 de dezembro de 2010

Palavra do dia: RECONHECIMENTO

substantivo masculino

1. ato de reconhecer;
2. efeito dessa ação;
3. exame minucioso;
4. confissão, declaração de um fato;
5. gratidão, sentimento de agradecimento;
6. recompensa, prêmio;
7. formação (aviões, blindados, infantaria).

25 de novembro de 2010

Geriatra ainda não né?!

Pra quem acha que está confundindo as coisas,
o dia do meu anivesário mesmo é 05/12 viu gente?! (rss)

22 de novembro de 2010

RUBEM ALVES


"O segredo do amor é a androgenia: somos todos homens e mulheres, masculinos e femininos ao mesmo tempo. É preciso saber ouvir. Acolher. Deixar que o outro entre dentro da gente. Ouvir em silêncio. Sem expulsá-lo por meio de argumentos e contra-razões. Nada mais fatal contra o amor que a resposta rápida. Alfange que decapita. Há pessoas muito velhas cujos ouvidos ainda são virginais: nunca foram penetrados. E é preciso saber falar. Há certas falas que são um estupro. Somente sabem falar os que sabem fazer silêncio e ouvir.
E, sobretudo, os que se dedicam à difícil arte de adivinhar: adivinhar os mundos adormecidos que habitam os vazios do outro."

15 de novembro de 2010

PATO FU brincando no palco

Ontem estive no Teatro Municipal de Nova Lima para assistir ao MÚSICA DE BRINQUEDO do Pato Fu. Nunca fui fã da banda, mas ontem confesso que a curiosidade (e a entrada franca, claro) me fez querer - e muito, ver Fernanda Takai e seu clã no palco.
Criatividade + humor + hits de sucesso. No que poderia dar essa equação?
No melhor resultado possível!!!
Música que agradou dos oito aos oitenta anos que estavam na plateia do maravilhoso Teatro Manoel Franzen de Lima - acústica excelente diga-se de passagem.
E sabem quem eram os backing vocals? Dois monstrinhos, Ziglo e Groco, do grupo de bonecos GIRAMUNDO.
Meu Deus! Que coisa mais gostosa de se ver, de se ouvir, de se curtir. Noventa minutos que passaram num piscar de olhos.
Assim como Adriana Calcanhoto se jogou para o público infantil como ADRIANA PARTIMPIM, porém com letras infantis, o Pato Fu pegou de jeito os pequeninos com seus instrumentos de brinquedo e outras coisas lúdicas nunca antes imaginadas num palco de "música para adultos".

De Zé Ramalho a Beatles, o teatro inteiro cantou com Fernanda Takai.

Brilhante e produtiva ideia da banda mineira que desde 2007 não lançava um disco.
Sem dúvida é o retorno com força total e, com toda certeza do mundo, muitos prêmios virão por aí.
Merecidamente.



19 de outubro de 2010

TROPA DE ELITE 2


Ficha técnica
Direção: José Padilha
Roteiro: José Padilha, Bráulio Mantovani e Rodrigo Pimentel
Duração: 115 minutos

Ontem finalmente fui assistir ao TROPA DE ELITE 2 - O Inimigo Agora É Outro.
Em plena segunda-feira e a última sessão - as 22h00, completamente lotada.

Com o enredo bem mais elaborado que o anterior, José Padilha me deu um soco na boca do estômago em seu último longa. E eu realmente espero que tenha doído em outras pessoas também. Aí você vai me perguntar: qual a novidade contada nessa ficção que não aconteça na vida real? Nenhuma! Mas vou dizer, Padilha conseguiu me deixar envergonhada. É, vergonha mesmo, acanhamento sabe?! Por ser brasileira e por exercer uma democracia tão adulterada, depreciada, satirizada e além de tudo, obrigatória. Uma democracia que só promete, promete, promete, até cansar, até a gente fingir que acredita. Tudo vai ser resolvido, tudo vai ficar bem, teremos a saúde, a segurança e a educação que merecemos.
Sistema doente que contamina todo o resto que vem depois.

Uma das cenas que mais me fez parar pra pensar foi a dos policiais milicianos extorquindo dinheiro da comunidade em cima de contravenções, digamos, "menores", como o transporte ilegal ou os "gatos" das TV's por assinatura e da energia elétrica. Quer dizer, mesmo que acabassem completamente com o tráfico, com o consumo de drogas ilícitas, de alguma forma a população local seria lesada por eles, porque eles também são lesados, pelo sistema. Efeito dominó. E nós, que ficamos no meio, somos lesados de todas as formas.

Resolvi que vou votar NULO agora no segundo turno para presidente.
José Padilha e a mais que convincente atuação de Wagner Moura me deixaram completamente desiludida.
Uma pena?! Talvez...

Para refletir: numa democracia cada nação tem os governantes que merece.
Fato.

24 de agosto de 2010

Inovação


Gente, que bacana o conceito da nova campanha do Fiat Idea 2011.
Uma repaginada na instituição FAMÍLIA.

O marido que toma conta da casa e dos filhos e a esposa que sai pra trabalhar.
Um belo dia ela chega em casa e o presenteia com um carro zero, para ele levar as crianças na escola, fazer compras no supermercado e ir com os amigos ao futebol.

Muito legal o conceito de inversão de papéis e quebra de tabus. Uma família não precisa ser pai (homem) que trabalha e mãe (mulher) que cuida da casa e dos filhos.
Parabéns Fiat.

E para quem ainda não viu: http://migre.me/17bXc


17 de agosto de 2010

MÚLTIPLA ESCOLHA


Hoje na hora do almoço minha colega de trabalho levantou uma questão interessante.
E que eu nunca havia pensado. Os problemas gerados pelo
excesso de OPÇÃO.Não entendeu?!
Vamos começar com singelos exemplos, mesmo porque, acho que esta é uma questão longa e complexa. E talvez o que algumas pessoas aceitam como problema, outras enxergam como solução.
Os exemplos não ilustram o que acontece com todo mundo ok?! Não é lei, por favor. São apenas exemplos que sei que vocês já viveram em casa ou conhecem alguém que se encaixa.
Bom, vamos lá.

Antigamente, nossos pais faziam compras no supermercado em bem menos tempo que hoje. Por que? Porque haviam poucas opções (quando não era uma só) de marcas para um mesmo item. Logo, o tempo necessário para pegar os produtos da listinha era bem menor e trazia bem menos conflitos ao chegar em casa.
Evitava-se: "por que você não trouxe o omo multiação partículas de extra limpeza ao invés do omo com um toque de comfort classic? Não gosto desse!".

Antigamente, só existia uma operadora de celular, os aparelhos não tinham chip, você comprava um motorola e ele já vinha com seu número. Caso alguém te roubasse ou você perdesse, era só cancelar o aparelho na Telemig Celular e o meliante - ou quem o encontrasse, não tinha mais o que fazer com o objeto furtado. Muito menos aparelhos eram roubados.
Evitava-se: "paguei três prestações do meu BlackBerry 9500 Storm e já fui roubado!".

Será que ter muitas opções para quase tudo na vida é somente perda de tempo?!
Gera conflitos desnecessários e dúvidas fúteis?!

Não me aprofundei em algumas questões como avanço tecnológico por exemplo, que nos dá um oceano de opções, mas acho que com essa amostra já me fiz entender.

Não, essa não é minha opinião, mas achei interessante o tema, me fez refletir.


E vocês o que acham?

23 de junho de 2010

Minha sacola customizada:

Acabei de acabar, o que acharam?
Mainha Que Faz, eu que customizo.
Estou pensando em levar na viagem,
quem sabe los hermanos não gostam e começamos a exportar?!
(rss, adoro!!!)


22 de junho de 2010

JULIE & JULIA



Pessoas, ontem vi um filme que realmente me tocou.

Julie & Julia de Nora Ephron (2009), com excelente trabalho de Maryl Streep, sem comentários.

Fala sobre tudo q gosto e preciso: amar, comer bem, escrever e recomeçar - esse último não que eu goste, mas estou precisando muito.
Motivador, o filme retrata como estar feliz fazendo o que se gosta.
Mesmo que esse fazer seja árduo, que o retorno não venha da forma imaginada (ou na velocidade calculada) ou que por várias vezes apareça a vontade de desistir.
Uma escritora que cozinha e uma cozinheira que lança um livro.
São as duas: Julie e Julia.
Depois que o filme acabou fiquei com vontade de comer, de cozinhar algumas das receitas que estão lá e de começar tudo de novo.
Vida nova. Novos sonhos.

Engraçado que algumas características minhas estão lá dentro do filme, parecem que falam comigo, até questões de saúde, como o problema de estômago de algumas personagens.
Bom gente, vale à pena demais assistir Julie & Julia.
Principalmente se estiverem numa fase como a minha: procurando o "mapa".

21 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO (1922 - 2010)

"Tolerar a existência do outro e permitir que ele seja diferente ainda é muito pouco. Quando se tolera apenas se concede e essa não é uma relação de igualdade,
mas de superioridadere de um sobre o outro."

14 de junho de 2010

COPA DO MUNDO


Amanhã nossa pátria estreia na copa do mundo 2010.

O país todo mobilizado, ruas enfeitadas com as cores da bandeira, camisas, encontros organizados em frente à uma TV para assistir aos jogos, enfim...

Mas seria tão bom ver toda essa devoção aplicada em outros âmbitos... Por que não somos assim sempre e não apenas de quatro em quatro anos?

Torcer pelo Brasil é gostoso sim, não estou falando que é chato.
Também assisto, também torço, também me visto nas cores da bandeira.
Mas e todo o resto errado em volta da gente?
Cobrimos com uma bandeira bem grande e fingimos não ver.

O sonho do "hexa" bem que poderia incentivar outros sonhos em nós brasileiros.

MARTHA MEDEIROS


"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos, um livro mais ou menos. Tudo perda de tempo.

Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo. O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia."

(trecho de O DIVÃ - livro que inspirou o filme homônimo)

.

.

7 de junho de 2010

...

Ando escrevendo muito pouco hein pessoas?!
E olha que ando meio de papo pro ar... (involuntariamente)
Prometo não ser mais tão relapsa com meu canteiro de obras aqui.

28 de abril de 2010

Noite do Griot - ELISA LUCINDA (impressões)











Francamente!
Elisa Lucinda é assustadoramente interessante. Que figura...
Já entrou em cena cantando à capela "Palavras ao vento", música gravada por Cássia Eller e que tem tuuudo a ver com o evento - GRIOT.
Contou histórias de vida. De preconceitos. De mesquinharia. E de alegrias também.
Declamou lindamente poemas - dela e de outros.
Com suas litorâneas pernas de fora, ela tirou isqueiro, cigarro e dinheiro do cabelo - sim, do cabelo, pra mostrar que de ruim seu cabelo não tem nada, rss.
Alguém a perguntou sobre a sensualidade em seus poemas e eu a pedi que declamasse "Notícias do Feminino", de seu mais recente livro A Fúria Da Beleza. Ela não só me escutou como respondeu: "ele está na lista, já já...".

Espontânea, sedutora e inteligente.
Olhos verdes encaixados numa pele mulata, que carrega uma poesia que encanta, choca e faz pensar.

E mesmo de vestido curto, terminou a Noite do Griot de ontem beijando o chão do Teatro Alterosa.

Autografou meu livro agradecendo pela minha INTIMIDADE com sua obra.
Ai, ai...

26 de abril de 2010

Anabê Villela

Tatoo

Minhas palavras se foram, viraram as costas e bateram a porta
...Meu sono também e minha cabeça ainda dói

Quem sabe perde o foco, o fato, o tato
Perdi a rima, o clima e a trama
Mas a inquietação ainda vive,sobrevive e ri de mim

Tudo bem! Não sou a única e até me divirto
Tudo me traz prazer.


23/04/2010

19 de abril de 2010

CHICO XAVIER



Alguns dados técnicos:

Produção e direção: DANIEL FILHO
Roteiro: Marcos Bernstein, AC – baseado na obra “As Vidas de Chico Xavier”, do jornalista Marcel Souto Maior.
Música: Egberto Gismonti
Duração das filmagens: 56 dias



Domingo fui assistir ao tão comentado filme do Daniel Filho, Chico Xavier. Confesso que fiquei um tanto quanto decepcionada. Achei o roteiro, a forma como foi contada a história bem simplista. "Pá-pum" sabe como?!
Um filme de pouca sensibilidade, tendo, na minha opinião, apenas dois momentos cruciais de emoção: quando o protagonista ainda criança sofre maus tratos da personagem Rita, interpretada por Giulia Gam e quando a Glória, interpretada por Christiane Torloni recebe uma carta psicografada do filho. Fora isso, o filme é completamente apático.
As doses de humor que foram colocadas quando Chico Xavier contracena com seu "guia espiritual" Emmanuel são totalmente desnecessárias. Sobram.
Ao mesmo tempo em que falta uma boa trilha sonora, à altura.
Tive a impressão de que o filme foi 100% construído em cima da entrevista concedida ao programa Pinga Fogo. E ponto. Nada além (sem trocadilhos!). Apesar do roteiro do Sr.Marcos Bernstein ter sido baseado na obra "As Vidas De Chico Xavier".
Quando acabou fiquei ali sentada, olhando pra tela e sem acreditar... É só isso??? Chico Xavier foi "só isso"???

Já assisti a outros filmes que contam histórias das vidas de pessoas públicas que não deixaram tanto a desejar assim. Exemplo: Dois Filhos De Francisco.


Talvez tenha faltado um pouco mais de delicadeza ao transferir para o vídeo um pouco da vida e da obra do unânime Franciso Cândido de Paula Xavier.


E só para constar: não, eu não li os livros.

9 de abril de 2010

Coisinha chata...


Adoro baixas temperaturas, acho lindo roupas de lã, cachecóis coloridos e botas dos mais variados modelos.
Mas o meu nariz não curte nada disso. Ele protesta, fica rebelde, cria caso, incomoda, fica todo aparecido. Muito chato isso.
Hoje mesmo estou completamente imersa na rinite alérgica, em plena sexta-feira, pode?!
Só pra vocês compartilharem um pouco comigo do martírio que é:
Rinite é uma inflamação das mucosas do nariz e uma em cada sete pessoas apresenta rinite alérgica, tanto adulto quanto criança.
Sintomas:
- nariz escorre e fica obstruído;
- irritação e coceira no nariz, nos olhos e no céu da boca;
- olfato fica prejudicado;
- dores de cabeça juntamente com outros sintomas destes já mencionados.

Mesmo assim, adoro um friozinho!
Ops, deixa eu falar baixo pro nariz não escutar...

Abraço temperado!



Já pensou que simples saleiros/pimenteiros pudessem ser tão charmosos?!

Deixa qualquer mesa amigável!

Fonte: http://migre.me/v4Ml

8 de abril de 2010

6 de abril de 2010

Sobre a CORRERIA que toma nosso cotidiano pra si...


Correria, preocupações, desejos, sonhos etc...
Coisas do mundo capitalista... que mata ou escraviza a gente... e muitas vezes nos tranca num individualismo egoístico na marra.

Quando acordamos ou libertamos deste foco... olhamos pro lado... ao analisar... vemos que muitas coisas estão diferentes... algumas coisas serão pra sempre... outras passarão como as folhas de outono... dando lugar as coisas novas.

Edu Lacerda

26 de março de 2010

É como ?

É gostoso receber boas notícias. Sensação boa danada... Ui...
É como tomar uma coca com gelo e limão depois de ter caminhado pela Afonso Pena da esquina da Bahia até a esquina da Carandaí.
É como deitar na sua cama com lençóis cheirando comfort depois de um banho e de um dia exaustivo.
É como conhecer a pessoa da sua vida e descobrir que ela pensa o mesmo de você.
É como ir à casa lotérica pagar uma conta e percerber que só tem uma pessoa antes de você pra ser atendida.
É como conseguir se esconder pra usar o fio dental durante um churrasco.
É como achar uma nota de cinquenta reais no seu casaco de inverno.
É como chegar na casa da sua mãe no domingo e sentir o cheiro do seu prato preferido.
É como feriado que cai na segunda-feira.
É como a vida tinha que ser sempre!

19 de março de 2010

Embalagem anti-furto pro seu lanche:

O saco plástico vem impresso com manchas de mofo.
Santa criatividade!!!

Graduação


Enfim... Graduada!
...
Sim. E o que muda?
Na prática nada.
Continuo fazendo a única coisa que os anos me ensinaram e que fui remunerada para executar: vendendo medicamentos.
Mas dentro de mim muita coisa mudou. Meus olhos ganharam uma visão ampliada do mundo, das coisas e das pessoas. Descobri que gosto de escrever e que posso me aperfeiçoar se quiser. Entendi que uma obra de arte abstrata tem sentido sim, só temos que saber o conceito que o artista seguiu e que por isso, tudo que imaginarmos pode ser arte. Conheci pessoas das mais variadas "tribos" e que tinham aparências completamente contrárias às suas essências. Aprendi a falar em público e a explicar coisas que entendo para as pessoas que ainda não entendem. Fiz intercâmbio de informações com meus mestres, adquiri conhecimento e também ensinei a eles. Comi pastel assado a palito no boteco na porta da faculdade com os colegas. Fiquei bêbada tomando skol e gastando cinco reais. Reconheci grandes amizades. Pude ser eu.

Depois de tantas experiências, a conclusão: fazer faculdade não é apenas pegar um diploma no final e dizer: tenho curso superior, sou bacharel, tenho uma profissão (mesmo que não a exerça). Fazer uma faculdade é tentar sugar ao máximo tudo que lhe oferecem e no final poder falar: SOU UM SER HUMANO MELHOR HOJE. Sim, entrar numa faculdade por livre e espontânea vontade é isso.

26 de fevereiro de 2010

NÃO PISE NA GRAMA


Placa inútil e amarela:
"não pise na grama"

Amarela
pela ausência de girassóis.

Inútil
porque não tenho meus pés no chão.

Fábio Rocha
(do livro TUDO PELOS ARES)

8 de fevereiro de 2010

Por Cris Guerra:


EXATO

Um mais um será sempre igual a dois.
Um menos um, zero.
A morte é matemática.
A vida, não.
A vida é delicada e inexata.
É pra quem sabe brincar de poesia.

1 de fevereiro de 2010

Impressões pós show....



Bom, é o seguinte: devo assumir... Adorei o show!
Já fui vááááárias vezes ao Chevrolet Hall, mas só tinha visto o lugar tão cheio assim, em sua lotação máxima, uma única vez: no primeiro show aqui em BH do disco "O silêncio que precede o esporro", do Rappa.
Todos cantando juntos todas as músicas, repertório bacana, algumas que eu já tinha ouvido no rádio e a grande maioria que conheci ontem e gostei.
A Dolores é um show à parte: cantou deitada no chão, dançou (uns passinhos bizarros, é verdade, rss, mas demonstrando extrema animação!) e até desceu do palco pra fazer um contato físico com a galera. Conversou com a plateia (em inglês, o que me fez ficar no método dedutivo de tradução, rs) e entrou em cena com a bandeira de Minas Gerais amarrada no pescoço.
Enfim, as impressões foram as melhores possíveis.
Recomendo sim, ouçam e conheçam THE CRANBERRIES, eu farei o mesmo...
Abraços e até breve!
.
.
.
.

29 de janeiro de 2010

Paula Lima canta o que quero dizer:


Novos Alvos
(Mart'nália / Ana Costa / Zélia Duncan)

Sempre chega um dia na vida
Chove um outro ponto de vista
Outra porta, outra esquina
Pra me encontrar
Por mais que eu perceba as saídas
Dúvidas são sempre bem-vindas
Estou esperando notícias
De outro lugar
Cansei de olhar espelhos de agora
Vou mirar novos alvos, me solta
Tempo que escorre agora e eu vou, eu vou
Cansei de olhar espelhos
Quero um olhar inteiro e vou
De outro lugar me vejo
Por outra saída eu vou
Quem viver verá meus sonhos
Mudando todos os planos
E voltando pro mesmo lugar


PS: o campo profisisonal às vezes desenha-se mais complicado que o afetivo pra mim, rs.

26 de janeiro de 2010

CLARICE LISPECTOR


"Todo prazer intenso toca no limiar da dor."

Inhotim - Centro de Arte Contemporânea









 
Com um acervo de, aproximadamente, 500 obras de mais de 100 artistas, a coleção de Inhotim vem sendo formada desde meados de 1980, com foco na arte produzida internacionalmente nos anos 1960 até os nossos dias. Pintura, escultura, desenho, fotografia, vídeo e instalações de renomados artistas brasileiros e internacionais são exibidos em galerias espalhadas pelo parque botânico - leia-se: Roberto Burle Marx.
Para saber mais: http://www.inhotim.org.br/

20 de janeiro de 2010

ELIS REGINA (amém!):

"Eu quero uma casa no campo, onde eu possa compor muitos rocks rurais e tenha somente a certeza dos amigos do peito e nada mais, eu quero uma casa no campo, onde eu possa ficar no tamanho da paz..."

ZÉLIA DUNCAN (cansei!):

"... num apartamento, perdido na cidade, alguém está tentando acreditar que as coisas vão melhorar..."
.
.
.

19 de janeiro de 2010

PEDRAS da LUNA


Um monte de coisas misturadas
Outros tantos ainda a se misturarem
E o coração vai dando as coordenadas
Para os sentimentos se mostrarem.

Sem perceber, o que desejo acontece
Então me permito sem sentido
Sem a bobagem de que a razão prevalece
Vem, desliga a TV e deita comigo!

Delícias sem hora na agenda
Um mimo surpresa sobre a cama
O ciúme que nunca se emenda
Mas esquece, diz que me ama.

O tempo fortalecendo as estruturas
Pr'um dia simples ficar maravilhoso
Diz que são só pra mim as tuas juras
Que eu te mostro meu olhar jocoso.

Estabeleço uma lei: se entreguem assim
Sem letras pequenas no rodapé
Vivam, se joguem e amem sem fim
Do fio de cabelo até o dedão do pé.

6 de janeiro de 2010

Sobre 2010...



Às vezes me sinto cética nesse âmbito, massss, penso que se for pra dar boas novas, vale à pena postar essas informações aqui:






Regido por Yemanjá - Iyemanjá, Yemanjá, Yemaya, Iemoja ou Yemoja, é um orixá africano, cujo nome deriva da expressão Iorubá "Yèyé omo ejá" ("Mãe cujos filhos são peixes"), portanto, 2010 será o ano da FARTURA e da SENSIBILIDADE.

Cor: prata transparente, azul, verde água e branco.
Arquétipo dos seus filhos: voluntarioso, fortes, rigorosos, protetores, caridosos, solidários em extremo, ingênuos, amigo, tímido, vaidosos com os cabelos principalmente, altivos, temperamentais, algumas vezes impetuosos e dominadores, e tem um certo medo do mar.
Sincretismo: Nossa Senhora

Fonte: Wikipedia

Regido por Vênus - na Astrologia, Vênus é o planeta que manifesta os atributos de Harmonia e Beleza, e que através dos seus ciclos manifesta a presença da Divindade em todo seu esplendor, especialmente naquilo que é manifestado aos nossos olhos agraves do esplendor da natureza. Sob a regência de Vênus buscaremos o entendimento, os acordos de paz, os tratados, e estaremos mais propensos a dividir nosso pão com os menos favorecidos.

Fonte: http://osorrisodogato.wordpress.com/

Um farto 2010 pra todos nós!!!

5 de janeiro de 2010

ESCONDERIJO - Ana Cañas

"Procuro a Solidão
Como o ar procura o chão
Como a chuva só desmancha
pensamento sem razão

Procuro esconderijo
encontro um novo abrigo
como a arte do seu jeito
e tudo faz sentido

calma pra contar nos dedos
beijo pra ficar aqui
teto para desabar
você para construir"

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...