18 de novembro de 2009

Mirthes Mathias

"Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
quanto mais eu!
Ciumenta, exigente, insegura, carente
toda cheia de marcas que a vida deixou:
Veja em cada exigência
um grito de carência,
um pedido de amor!

Amor, amor é síntese,
uma integração de dados:
não há que tirar nem pôr.
Não me corte em fatias,
(ninguém abraça um pedaço),
me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeita, amor!"

Do livro "Bom dia amor!", 1990

.
.
.
.

Nenhum comentário:

A moça do bonde

A moça é daqui, de lá, de longe ela acorda cedo todo dia, pega o bonde ela não quer virar estatística de ONG. A moça é daqui, de l...