20 de novembro de 2009

ESCREVO

"Escrevo para fugir
Escrevo para sorrir
Escrevo para encontrar alento,talvez

Escrevo para me confundir
Pra me exaurir
Pra quem sabe,um dia me perpetuar
Ou me torturar
Porque não acredito em mim
Não acredito em ti

Não creio que sorrisos sejam abrigos
Nem que palavras sejam verdadeiras
Só lágrimas o são
E já chorei tanto que não existe mais nada
Além do vazio
Triste, úmido, infindo

Escrevo
O que já nem sei quem eu sou."

Anabê Villela
16/01/2008

Nenhum comentário:

A temer

Nascemos e fomos adestrados para sentir medo. Medo do desconhecido por todos medo do que já foi vivido por tolos medo do que virá a...