21 de maio de 2018

Crua



uma verdade nua e crua
quer? eu tenho medo
cadê? ela tá aqui dentro ou lá na rua?
tantos castelos de mentiras
só as plantas crescem neles
dias de amor, semanas de ira
e pra cada par uma receita reles
(imorais redes sociais)
a gente segue, insiste
desce, desiste
a gente acha que sabe, que entende
mas verdade não se vende
aonde acho pra comprar? tem rifa?
não temos
por que você precisa de uma?
verdade... aonde está a sua?
aí dentro ou na rua?
.
.




26 de março de 2018

Sabedoria


A moça do bonde


A moça é daqui, de lá, de longe
ela acorda cedo todo dia, pega o bonde
ela não quer virar estatística de ONG.

A moça é daqui, de lá e de longe
ela faz, pensa, pergunta e responde
ela não te pertence e tem nome.

Me solta, tira a mão de mim!

Calma piranha! Eu sei que você vai curtir.
Por que saiu de casa assim sem se vestir?

A moça agora não está mais aqui
ela não se cansou de lutar e insistir.
Mas a moça é só mais uma que foi pra longe
mais uma vítima de homem.







20 de fevereiro de 2018

Todo santo dia



nEsse cansaço de todo santo diA
eU me esforço, rastejante à procura da alegriA
lApidando temores, cheirando a nostalgiA
cOmo um boêmio sem companhiA.

nEsse cansaço de todo diA
cAda vez que me despeço a rotina me recriA
aCordo esperando por um cafuné que esfriA
sEm conseguir responder ao seu bom diA.


.
.
.

7 de outubro de 2017

Diário



fico parada observando o nada, a torneira que pinga
achando estranho uma pessoa que tropeça e não xinga
mas na verdade eu morro é de dó dessa sua falta de ginga.

tenho uma preocupação por ter que tomar tanto remédio
todos os dias penso: por que tenho que morar em prédio?
e sofro por te olhar, procurar por algo e ainda sentir esse tédio.

a cerveja está sempre gelada e os amigos quase sempre por perto
mas trabalho demais o tempo passa e a conta nunca dá certo
jogo tudo por alto, viro hippie, vendo miçangas e me liberto?

me incomoda tanto o noticiário, ver este país assim
fico puta com esse nosso conformismo sem fim
e tenho tanta preguiça de tudo, às vezes até mesmo de mim.


12 de julho de 2017

A temer



Nascemos e fomos adestrados para sentir medo.
Medo do desconhecido por todos
medo do que já foi vivido por tolos
medo do que virá aos poucos
medo de rejeitar o novo.

Nos ensinaram que devemos ser cautelosos,
mas além da cautela, sermos medrosos.
Medo de amar e ter que sofrer
medo de não amar, mas querer
medo de só sentir prazer
medo de ser a gente mesmo pra viver.

Mas no fundo o que você deve temer
é uma democracia que te faz padecer
é um governo que não vai te acolher
é um futuro que você não vai merecer
é de não ter dignidade nem pra morrer.


25 de abril de 2017

E a gente fica



A vida às vezes nos prega peças.

Prega pregos e
nos prega até pessoas.

Depois desprega
desprende
desbota
e se despede.

Peças, pregos e pessoas.

Como lápis no papel
a sombra fica, mesmo depois de bem apagado
mas aí o tempo passa
e a gente vai esquecendo o que havia ali desenhado.

E fica mesmo desbotado
desapercebido
desencostado.


E a gente vai ficando aliviado.






Crua

uma verdade nua e crua quer? eu tenho medo cadê? ela tá aqui dentro ou lá na rua? tantos castelos de mentiras só as plantas cresc...